Tecnologia Agrícola
Praga que atinge café afeta rentabilidade na última safra

Imagem retirada de https://exame.abril.com.br/mercados/praga-que-atinge-cafe-afeta-rentabilidade-na-ultima-safra/
Imagem retirada de https://exame.abril.com.br/mercados/praga-que-atinge-cafe-afeta-rentabilidade-na-ultima-safra/

Diversos fatores devem reduzir a produtividade do café na safra 2017 no país. Além da bienalidade negativa na maior parte do país, quando há alternância de safras de alta produtividade com outras de baixo rendimento, o clima pode ter contribuído para a incidência da broca-do-café, praga considerada uma das mais agressivas para os cafezais.

Só no estado de Minas Gerais, que produz a metade de todo o café brasileiro, a produção ficou 20,7% menor em relação à safra passada, segundo dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Em Guaxupé, por exemplo, o resultado deve ficar no patamar das 14 milhões de sacas, 3 milhões a menos que na safra anterior.

Em São Paulo, há incidência da mesma praga em quase todas as regiões produtoras. Com a colheita já praticamente finalizada, os dados paulistas apontam para uma queda de 28,6% na produtividade e de 28,23% na produção. Isso resulta em uma redução de 1,7 milhão de sacas, quando comparada ao ano anterior.

A broca-do-café é um besouro que provoca a perda de peso e interfere diretamente na qualidade dos grãos. Dependendo do nível de infestação, os prejuízos podem chegar, em média, a 20% no peso do café, resultando em uma perda de até 150 reais por saca. A maior parte das ocorrências se dá em locais onde a colheita é mecanizada, pois muitos produtores acabam deixando os frutos remanescentes para trás.

As infestações por broca vêm apresentando grandes problemas desde 2013, quando o defensivo mais utilizado para o controle da praga foi proibido no país. Desde então, novos defensivos têm sido utilizados, porém, com menor eficácia e maior custo se comparado ao produto anteriormente utilizado.

O Brasil é o maior produtor e exportador do produto do mundo, abastecendo 30% do consumo global. No mundo, o grão é cultivado em mais de 60 países, com uma produção anual que gira em torno de 155 milhões de sacas.


Fonte: Exame.com, escrita por Gabriela Monteiro


RGB Comunicação - Agência de Internet e Produtora de Vídeo
Rua das Orquídeas, 29 – Chácara Recreio Planalto – CEP 14176-416 – Sertãozinho/SP
E-mail: biocontrol@biocontrol.com.br